terça-feira, 19 de setembro de 2017




talvez me vá embora 
sem que ninguém dê por isso.

 assim um pássaro
 descansando do voo
 num verso da noite. 

 às vezes a alma gosta
 de trair a morte.






 Emanuel Jorge Botelho
(Foto de Laura Makabresku)

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

domingo, 17 de setembro de 2017

coisas vagas




Por sorte andas bem longe, lá por fora, 
já me esqueci de ti completamente. 
É mais fácil assim, saber-te ausente, 
corre mais fina a vida junto à morte.
 Na caixa do correio só encontro 
cartas de beis imperadores, promessas 
de palácios talhados em sal-gema, 
ouros, tesouros, e outras coisas vagas; 
férias, talvez, no sultanato opaco
 onde me aguarda um paraíso intacto 
de virgens falsas e reais eunucos.
 Entre os meus dedos fica o lugar oco
 onde tão certo deixo esse postal
 ilustrado do teu esquecimento.







 António Franco Alexandre
 (Foto de Natalia Drepina)